O novo ano é um excelente momento para empreendedores reverem seu planejamento financeiro empresarial e praticarem boas resoluções para diminuir os custos e aumentar os lucros.

Alguns empresários simplesmente fazem uma réplica do planejamento anterior. No entanto, o bom empreendedor, mais do que ninguém, sabe que o mercado é dinâmico e não é possível se espelhar no ano que passou para se planejar no seguinte.

Há alguns pontos-chave para desenvolver um planejamento financeiro empresarial bem-sucedido e condizente com o novo ano. Neste post, daremos algumas dicas para ajudar você a saber por onde começar o seu planejamento. Confira!

#1 Levante a atual situação financeira da sua empresa

Não há como elaborar um novo planejamento financeiro para sua empresa se você não souber qual é a real situação dela atualmente, do jeito mais detalhado possível.

Faça um levantamento de como anda seu serviço ou produto no mercado, se está sendo bem recebido pelo público-alvo, e verifique a eficiência da comunicação com seus clientes.

Além disso, faça um balanço patrimonial. Calcular seu patrimônio líquido é um passo fundamental para avaliar a saúde financeira da sua empresa e atingir seus objetivos.

Avaliar atentamente todos os seus ativos e passivos ajuda a criar uma imagem clara de onde você está priorizando seus gastos atuais, como está poupando e onde será necessário fazer alterações nos hábitos de investimento. Esse é o primeiro passo para iniciar um bom planejamento!

#2 Avalie seu desempenho no ano que passou

Uma análise de desempenho da sua empresa em relação ao orçamento ou às expectativas que você teve no início do ano que passou permite estabelecer pontos de acerto e erro.

Para isso, reúna-se com seus principais funcionários e verifiquem juntos quais áreas do negócio superaram ou ficaram aquém das expectativas.

Analise o desempenho pretendido neste ano que entra em relação ao ano anterior, de forma a identificar as tendências de negócios, as áreas de progresso e as áreas de contínuo desafio.

Tome como referência o desempenho do seu negócio no ano de 2016 em relação aos seus concorrentes no mercado para identificar as áreas de oportunidade e os pontos fortes da sua empresa.

É importante avaliar, também, seu fluxo de caixa — particularmente em relação ao recebimento e pagamento de contas. O saldo em caixa foi adequado durante todo o ano? Os recebíveis foram cobrados em tempo hábil? A empresa teve tempo suficiente para pagar suas contas?

A partir dessa análise, desenvolva estratégias para evitar os mesmos problemas e manter o que deu certo.

#3 Reveja suas metas

Ano novo requer novas metas e objetivos! Basicamente, quanto você quer que a sua empresa fature e quanto pretende investir para isso? Seja realista e estipule apenas o que for possível realizar.

Além disso, essas metas devem ser registradas no seu novo planejamento financeiro e você precisará esmiuçar os passos necessários para alcançá-las, bem como os prazos. Por meio desses registros, você poderá fazer o devido monitoramento de progresso.

#4 Faça previsões de diferentes situações para sua empresa

É importante se planejar para os vários cenários financeiros possíveis que sua empresa possa enfrentar.

Apesar de não haver um modo preciso de prever seu futuro financeiro, dessa forma, você estará mais bem preparado para imprevistos. Assim, você estabelece gastos e receitas mensais, tanto fixos quanto variáveis.

Essa é uma tarefa que pode ser feita utilizando uma planilha orçamentária. Um recurso simples, mas bastante útil para tal finalidade.

#5 Descarte os gastos desnecessários

Essa é uma atitude fundamental para a saúde financeira da sua empresa, seja em planejamentos anuais ou mensais. Por meio do levantamento recomendado no primeiro item deste post, você poderá descobrir onde está gastando desnecessariamente:

Verifique se há desperdício de material de trabalho na sua empresa. Reveja os gastos excessivos com água, energia e outros serviços básicos. Converse com seu contador e verifique se você não está pagando tributos desnecessários ou se há formas de fazer a compensação tributária.

Veja se você tem conseguido pagar todas as contas em dia para fugir dos juros.

Corte todo tipo de desperdício financeiro que possa haver. Assim, você vai salvaguardar o dinheiro desses gastos desnecessários para investir em outras áreas dentro da sua empresa.

#6 Desenvolva um plano de ação

Para ajudar a implementar seu novo planejamento financeiro, você precisa criar um plano de ação. Ele deve incluir todas as tarefas que você precisará realizar a fim de melhorar a situação financeira da sua empresa, e pode ser elaborado contendo os seguintes quesitos:

  • Ação recomendada

Seu plano de ação é uma lista de todas as recomendações que você deve fazer para fortalecer seu planejamento financeiro. Há duas maneiras de fazer sua lista: dependendo da situação, você pode listar as tarefas por importância ou estipular um cronograma de realização.

  • Propósito de alcançar as metas

Seu plano de ação do planejamento financeiro deve incluir uma descrição do que a ação recomendada alcançará, o que ajuda a comunicar a importância de cumprir a recomendação e fornece uma trilha de auditoria das classes de recomendações.

Isso virá a calhar caso os gestores financeiros mudem ou se quiser atualizar seu planejamento.

  • Data alvo

Todos os grandes objetivos e metas são impulsionados pelo tempo. Isso significa escolher uma quantidade razoável de tempo para implementar a recomendação. Essa é a maneira mais fácil de manter todos no caminho certo.

  • Procure ajuda profissional para o planejamento financeiro empresarial

Ao implementar um planejamento financeiro, você provavelmente precisará confiar na experiência de alguns especialistas — como um contador e um advogado.

Um contador, por exemplo, pode ajudá-lo com a preparação da demonstração financeira e os orçamentos. Além disso, ele também pode ajudar a preparar seus impostos e sugerir oportunidades para reduzir sua responsabilidade tributária.

Já um bom advogado pode ajudá-lo a entender as complexidades da lei e a determinar os melhores serviços para a sua situação.

Além disso, é necessário buscar por meios seguros de investir e obter investidores para sua empresa, pois esse é um dos pilares para um sólido planejamento financeiro empresarial.

#7 Mensure o planejamento constantemente

Além de rever suas metas, é importante mensurar seu novo planejamento com frequência. Isso deve ser feito para avaliar se aquilo que você pretendia para a empresa está sendo alcançado e se ela anda gerando os resultados esperados.

Para tanto, é vital contar com controles que possibilitam a realização de uma análise mais apurada da performance e do planejamento do empreendimento.

Você pode utilizar indicadores-chave de desempenho (KPIs), um software de gestão e vários demonstrativos para essa finalidade, já que eles transformam os resultados em conceitos e números que podem ser melhor avaliados.

#8 Negocie preços e pagamentos e adiante recebimentos

Para otimizar seu controle financeiro e gerar maior economia, lembre-se de negociar preços e pagamentos com seus parceiros. Tente pedir prazos maiores aos fornecedores ou procure negociar parcelamentos de dívidas com o mínimo de juros possível.

É indicado fazer isso no começo do ano, pois é a época em que costumam haver reajustes de valores. Se você não tomar a dianteira nessas negociações, terá de arcar com custos maiores nas mesmas condições do ano anterior.

Além disso, tente oferecer descontos ou condições mais benéficas aos clientes que adiantarem seus pagamentos. Dessa forma, você poderá aumentar o volume financeiro em caixa e conseguirá equilibrar melhor suas contas, especialmente as que aumentarem de valor.

No entanto, faça um bom planejamento dos benefícios e descontos que concederá para não perder no lucro, pois o intuito dessa ação é capitalizar o caixa da empresa e adiantar ganhos para evitar atrasos nas obrigações assumidas.

#9 Tome cuidado com os juros pagos

Lembre-se de calcular bem o seu ciclo operacional, organizando os recebimentos para datas anteriores às de pagamentos de contas. Caso contrário, você terá maiores chances de atrasar obrigações, o que levará ao pagamento de multas e juros.

Isso pode levar à necessidade de solicitar empréstimos emergenciais ou de crédito mais caro (cartão de crédito, cheque especial, conta garantida etc.) devido a uma falta de avaliação adequada. Do mesmo modo, os juros cobrados por essas opções pode encarecer a operação do seu negócio e reduzir sua margem de lucro.

Para lidar com essa solução, além de programar corretamente recebimentos e pagamentos, lembre-se de montar uma reserva financeira de segurança.

Busque, também, alternativas mais vantajosas para obter capital de terceiros, como os empréstimos coletivos. Eles contam com taxas mais atrativas, têm menos burocracia e são mais rápidos na liberação, uma vez que, o processo é todo feito por meio de uma plataforma virtual.

#10 Não misture as finanças da empresa com as pessoais

Juntar contas da empresa com as do gestor é um dos erros de gestão que mais pode gerar graves consequências para um empreendimento, como multas da fiscalização e dificuldades de avaliar a real situação financeira do negócio.

Portanto, se você faz isso, é hora de reavaliar essa atitude e separar bem o que é seu do que é da empresa. Para ajudar nisso, tenha, ao menos, uma conta-corrente para você e outra só para o empreendimento.

Também defina/separe um pró-labore que seja suficiente para você arcar com suas dívidas e gastos, mas que também não sufoque o caixa da sua companhia. É preciso ser realista com as condições e as possibilidades do negócio.

Com as dicas de planejamento financeiro empresarial citadas acima, você poderá preparar melhor a sua empresa para os desafios do cotidiano. Por isso, vale a pena colocá-las em prática.

 

Gostou das dicas? Então curta nossa página no Facebook, conheça melhor nossa empresa e receba dicas de investimento!

Escreva um comentário

Pin It