Descubra a importância do balanço patrimonial e veja como ele pode ajudar na gestão do seu negócio.

O uso de demonstrações contábeis ajuda o gestor a otimizar o gerenciamento financeiro da empresa, pois esses instrumentos costumam reunir informações importantes sobre o desempenho e os resultados do negócio. Por isso, é importante ter um bom entendimento sobre o que é balanço patrimonial (BP) e quais os dados que o compõem, já que, entre as demonstrações empresariais, ele é uma das principais.

Quer saber mais sobre como esse documento pode ser útil para a sua organização? Então continue lendo!

O que é balanço patrimonial?

O Balanço Patrimonial é a demonstração contábil que evidencia, de modo quantitativo e qualitativo, em uma data específica, a posição financeira e patrimonial de uma organização. Basicamente, ele apresenta cada item que integra o patrimônio, bem como a quantidade que se tem de cada um.

Nesse demonstrativo, as contas devem ser classificadas conforme os itens do patrimônio que registram, bem como reunidas de forma a facilitar o conhecimento e a avaliação da situação econômica da companhia.

Segundo o § 1º do artigo 176, da Lei 6.404/76, as demonstrações de cada exercício devem ser publicadas contendo a indicação dos valores respectivos às demonstrações do exercício anterior. Isso precisa ser feito para fins de comparação.

Vale ressaltar que, no balanço, o patrimônio está em equilíbrio, pois se equilibra os direitos e bens com as participações dos acionistas e as obrigações. Sendo assim, ele é constituído de modo a transparecer a igualdade patrimonial.

Aliás, o próprio termo “Balanço” tem sua origem com base em equilíbrios de diferentes elementos, como em uma balança de dois pratos em que ambos estão alinhados. Se não houver isso, há erros contábeis. Veja alguns dos fatores que o constituem e que são equilibrados:

  • Ativo = Passivo + PL;
  • Aplicações = Origens;
  • Bens + Direitos = Obrigações.

Por que é importante entender bem ele?

O BP informa toda a situação patrimonial, isto é, os direitos, bens e obrigações de uma companhia. Em paralelo a isso, dá para se identificar os investimentos feitos e suas fontes de recursos.

Por essas razões, ele constitui uma importante base de informações para o planejamento, organização e execução de ações dentro das empresas, especialmente se for utilizado em conjunto com a Demonstração de Resultado do Exercício (DRE).

O Balanço Patrimonial estrutura e classifica as informações financeiras em blocos para o empreendedor visualizar melhor a condição econômica da organização, ou seja, se está bem ou se precisa superar dificuldades financeiras. Com base nisso, é possível:

  • obter uma posição patrimonial da companhia e saber exatamente quais são seus bens, obrigações e direitos em um determinado intervalo de tempo;
  • verificar a evolução histórica financeira da empresa;
  • possibilitar o planejamento tributário da companhia;
  • compreender quais as fontes principais de recursos do negócio para investimentos;
  • possibilitar e dar lastro ao pagamento de dividendos aos acionistas ou sócios do empreendimento;
  • entregar informações úteis para stakeholders/parceiros do negócio.

Como é sua estrutura e quais as subdivisões que possui?

O Balanço Patrimonial é composto por três contas principais em duas colunas:

  • coluna direita: aqui fica o Passivo, no qual são discriminadas obrigações da com terceiros, conforme expressão monetária e sua natureza. Aqui também fica o Patrimônio Líquido, ou seja, obrigações para com o negócio, como recursos que sócios ou acionistas investiram e reserva de lucros;
  • coluna esquerda: são discriminados os direitos, bens e aplicações controlados pelos empreendimento, especificando-se qualitativamente cada elemento e indicando seu valor monetário, o que corresponde ao seu aspecto quantitativo.

Vale reforçar que o Patrimônio Líquido engloba os próprios recursos da organização, sendo que seu valor corresponde à diferença positiva que existe entre o valor do Ativo e o valor do Passivo. Para entender melhor, veja um exemplo simples:

Balanço Patrimonial (BP)
Ativo Passivo
Bens + Direitos Obrigações com terceiros
Patrimônio Líquido
Obrigações com a empresa (acionistas, sócios, proprietários etc.)
Total do Ativo em $ Total do Passivo em $
(Total ativo = Total passivo)

Existem subdivisões no Ativo e no Passivo dentro do BP. Por exemplo, o Ativo pode ser composto por:

  • ativo circulante: corresponde aos recursos e bens aplicados da companhia, que podem ser transformados facilmente em dinheiro em um período curto de tempo;
  • ativo não circulante: recursos de permanência duradoura, como cotas societárias;
  • realizável a longo prazo: parecido com o ativo circulante, porém entram nessa categoria os recursos que levam mais um ano contábil para que sejam convertidos em espécie (dinheiro);
  • ativo fixo: bens necessários para a companhia executar suas operações, tais como máquinas, terrenos, edifícios etc.

Os passivos, por sua vez, podem ser divididos em:

  • passivo circulante: obrigações que o negócio tem de pagar durante o ano contábil. Entre eles, temos fornecedores, salários dos funcionários, tributos etc.
  • exigível a longo prazo: lembra o passivo circulante, mas as contas aqui serão pagas só no ano contábil posterior.

É obrigatório possuir o balanço?

O Balanço Patrimonial é obrigatório para as empresas, com exceção de quem possui registro MEI. Portanto, é essencial manter os registros contábeis em dia para que, quando preciso, o BP possa ser confeccionado adequadamente.

Logo, não deixe de mandar os documentos e informações de fatos ocorridos na empresa a um bom contador, de modo que ele possa elaborar esse importante demonstrativo contábil.

O que acontece caso a empresa não possua um BP?

Além de não ficar em conformidade com a legislação, a empresa que não tem um BP pode ter as seguintes consequências:

  • impossibilidade de usar a informação do BP para se defender em processos tributários, pois esse demonstrativo constitui prova importante nesses casos;
  • impossibilidade de avaliar a performance do negócio levando em consideração a competência, algo que somente o fluxo de caixa nem sempre permite;
  • dificuldade para levantar haveres de sócios caso saiam do negócio, entre outros transtornos.
  • a Lei 11.101/2005 menciona que o Balanço Patrimonial é um dos documentos necessários para se solicitar recuperação judicial da empresa, ou seja, sem ele não será possível entrar com esse tipo de pedido.

Para não ter problemas com essa demonstração, é importante contar com uma boa assessoria contábil que o ajude a organizar os registros financeiros do seu negócio. Dessa forma, você poderá contar com todas as vantagens e análises que o BP é capaz de oferecer.

Ficou com alguma dúvida sobre o que é balanço patrimonial? Compartilhe nos comentários!

Escreva um comentário

Pin It