Apesar de ser um tema importante para a realidade de qualquer um, quando o assunto é a importância da educação financeira, é quase um consenso que pouco se sabe sobre a questão.

Como a educação financeira é importante no planejamento

André Bona possui mais de 10 anos de experiência no mercado financeiro, tendo auxiliado milhares de investidores a investir melhor seus recursos

Mesmo que haja uma imensa gama de livros sobre assunto e profissionais dispostos a passar o seu conhecimento, as pessoas continuam a saber pouco sobre como lidar com a sua vida financeira e assim evitar entrar em enrascadas bastante comuns.

Para se ter uma ideia, em recente pesquisa feita pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC), 58 milhões de pessoas estão negativadas no Brasil. Esse é um número assustador e explica bem como a falta de educação financeira pode ser prejudicial.

Não é para menos, esse assunto não é ensinado nas escolas. Mesmo em cursos de graduação, que formam os profissionais do futuro, a não ser que seja um curso da área financeira, pouco se é ensinado sobre como administrar o seu dinheiro.

O que seria a educação financeira?

Grosso modo, a educação financeira é o encontro do controle financeiro, do crédito e das dívidas com o conhecimento essencial para tomar decisões a respeito do seu dinheiro. Esse parecer deve ser responsável, visando sempre a regularidade das finanças e o seu bem-estar.

Com esse conhecimento, é possível tomar decisões para a sua vida individual. Mas, também, é essencial para aquelas decisões que estão ligadas à família como viagens, compra de bens e financiamento da educação dos filhos, entre outros. O objetivo aqui é não desequilibrar o orçamento.

Entenda que não importa o tipo de renda, todos estão sujeitos a ter uma má educação financeira, inclusive profissionais qualificados com um alto rendimento.

Mas afinal qual é a importância da educação financeira?

Dívidas. Essa é talvez a maior importância quando se trata de educação financeira. Principalmente quando tratamos do seu início, onde é bem comum entrar em investimentos duvidosos. Sem uma educação financeira adequada, você pode se encantar com as possibilidades de crédito que o banco oferece e, a fim de atingir os seus objetivos, acabar se tornando inadimplente.

As dívidas podem atingir todas as áreas. A saúde e a vida social podem ser bastante prejudicadas pelo uso indevido do dinheiro e pelos constantes débitos. Isso é muito preocupante quando se percebe que, em muitos casos, jovens na casa dos 20 anos já estão acumulando grandes dívidas e provavelmente repetirão esse comportamento até o final de sua vida.

A educação financeira é um tema que precisa ser debatido entre os familiares e, especialmente, deve ser ensinado desde cedo. Assim, os futuros adultos podem usufruir da sua renda de forma responsável e sem preocupação com possíveis contratempos.

Pensando em melhorar um pouco mais o seu entendimento sobre educação financeira, explicaremos o que é um investidor mal-educado e um bem-educado. Confira:

O que é um investidor mal educado?

Existem muitos exemplos de investidores mal-educados. Por exemplo, alguém que, mesmo com dívidas, resolve fazer investimentos com o dinheiro que recebe, ao invés, de aproveitar a receita para resolver a sua situação financeira. Ou alguém que realiza um empréstimo para pagar empréstimos anteriores e acaba entrando em uma bola de neve de dívidas.

Vamos fazer um teste. Você sabe qual é a diferença entre um balanço patrimonial e uma demonstração de resultados? Você sabe quais são os tipos de investimentos existentes? Não vale falar apenas da poupança. Ou, quanto você paga de juros no cartão de crédito por mês? Sabe alguma coisa sobre a taxa Selic?

Isso são apenas algumas perguntas sobre o mundo financeiro que muita gente não sabe responder. Justamente, porque elas nunca tiveram a oportunidade de aprender sobre o assunto. Como resultado, a vida financeira vai de mal a pior, com dívidas e pouco lucro para realizar os seus objetivos.

Quer saber qual é o contrário desse tipo de comportamento? Veja a seguir:

O que é um investidor bem-educado?

Um investidor bem-educado vai entender os processos de sua conta-corrente. Ou seja, ele vai entender que todos os recursos que o banco oferece como cartão de crédito, cheque especial e até os empréstimos devem ser usados com cautela. Sua atitude será de sempre evitar dívidas.

Ele terá o hábito de realizar planejamentos financeiros, controlar seus gastos e investir em seus objetivos a partir do parecer de sua gerência. Se estiver endividado, ele fará um levantamento de suas dívidas, detalhará prazos e procurará negociá-las, sempre que possível.

E, o mais importante, jamais tomará decisões precipitadas a respeito das suas dívidas ou dos seus objetivos. Terá certeza que poderá cumprir com as mensalidades dos seus acordos, pois já se planejou e anteviu os possíveis percalços. Além disso, saberá poupar pensando, principalmente, na sua aposentadoria e fará investimentos para o futuro.

Onde buscar opções para a educação financeira?

Existem muitos lugares onde é possível encontrar um bom conteúdo sobre educação financeira. Evidentemente, na internet há muitos sites e blogs especializados no assunto. Canais no Youtube também podem auxiliar no começo da sua conscientização a respeito das finanças.

Além desse tipo de conteúdo, você também pode procurar por livros de profissionais especializados. Esses livros podem ajudar você a entender melhor as suas atitudes financeiras e como isso afeta a vida.

Cursos também são uma ótima alternativa. Além de ter a oportunidade de obter um parecer de um profissional, você pode conhecer outras pessoas com os mesmos problemas que você e trocar informações. Mas atenção, procure sempre por cursos de pessoas com renome no mercado e que tenham uma boa reputação quanto aos resultados de seus ex-alunos.

Bom, esperamos que esse artigo tenha ajudado você a entender melhor o quanto a educação financeira é um assunto importante para a vida de qualquer um.

Não importa o tamanho da sua renda, todos estamos sujeitos a contrair dívidas. Como, infelizmente, o conhecimento para lidar com as finanças não é uma coisa ensinada na escola, é importantíssimo que você vá atrás dessas informações.

Gostou do nosso artigo sobre a importância da educação financeira? Então deixe seu comentário!


* André Bona possui mais de 10 anos de experiência no mercado financeiro, tendo auxiliado milhares de investidores a investir melhor seus recursos e é o criador do Blog de Valor – site de educação financeira independente.