Criado em 2009 por três amigos, o Oak’s Burritos é um restaurante fast casual em Porto Alegre. Em junho os sócios inauguraram a segunda loja da rede, agora em terras cariocas.

Colagem de imagens da unidade do restaurante no Rio de Janeiro.

Fast Casual é a combinação perfeita entre uma alimentação melhor selecionada e bem preparada, com a agilidade no atendimento de um fast food.

No cardápio do Oak’s encontramos uma mistura entre a tradicional gastronomia mexicana, com o estilo californiano, tudo isso sem precisar sair do Brasil. Para os sócios, além da excelente comida, o ambiente descontraído é essencial. Os sócios juntaram o inconformismo com restaurantes mexicanos caricatos com a inspiração vinda do intercâmbio e decidiram montar um restaurante totalmente diferente.

Conversamos com um dos idealizadores do negócio, Rafael Machado, que participou do portfólio Orion. Rafael contou sobre a sua jornada como empreendedor, os desafios e as conquistas alcançadas até agora. Confira:

Biva: Queremos saber um pouco da sua história e trajetória como empreendedor. Como tudo começou?

Rafael: Tudo começou em Porto Alegre, em 2009.

Aos 21 anos e insatisfeito com o trabalho de estagiário na indústria, eu reuni alguns colegas da faculdade para falarmos de empreendedorismo. Éramos seis caras. Todos ali tinham tido experiência na Empresa Júnior da Escola de Administração da UFRGS e também tinham feito seus intercâmbios para diferentes lugares.

Eu havia cursado um semestre de administração na Universidade de Wisconsin (EUA) e trabalhado no restaurante do campus. O cara que criou o Oak’s comigo e é meu sócio hoje o Fabrício, tinha vivido por um ano na Austrália, trabalhando e estudando inglês.

 

B: Como foi o começo da sua empresa? Como surgiu a ideia do negócio?

R: Nessa reunião com os seis colegas, cada um deu uma ideia de negócio e foi tocar uma pesquisa de mercado.

Eu joguei na mesa a ideia de vender burritos e tacos de um jeito descomplicado, através do conceito Fast Casual – que estava bombando nos EUA.

Argumentei que isso seria legal, porque os restaurantes de comida mexicana, no Brasil, são muito caricaturados, tipo: o cliente entra no recinto e vê sombreros, bandeiras do México, caveirinhas, pimentas e cactus. Para completar, tem um mariachi barulhento ao ouvido e ainda vem um garçom que sacode sua cabeça depois que ele bebe um gole de tequila.

A gente achava isso ruim e queria oferecer para galera um lugar com uma vibe boa, pra curtir o sabor de burritos, tacos e nachos ao som de surf music, batendo um papo com os amigos.

Em setembro de 2010, quando o Fabrício e eu tínhamos 22 anos, as portas do primeiro Oak’s se abriram.

Começamos numa lojinha pequena, na Zona Sul de Porto Alegre. Em 2012 nos mudamos para uma loja grandona, no bairro Moinhos de Vento.

E aí a coisa ficou séria. O faturamento passou a subir rápido e pessoas de outros estados começaram a pedir uma loja Oak’s em suas cidades.

 

B: O que fez você recorrer à Biva?

R: A gente precisava de dinheiro para criar nossa estrutura de franchising: aumentar a equipe administrativa, contratar advogado para fazer a Circular de Oferta de Franquia e, por fim, pagar designers e arquitetos para atualizarem nossa identidade visual.

A Biva surgiu para gente nesse momento.

 

B: Qual a maior dificuldade que a Biva resolveu?

R: Tudo que foge do padrão do mercado financeiro brasileiro nos agrada. Não curtimos essa dependência que os empreendedores têm de poucos bancos – e estatais ainda.

A Biva é uma ferramenta inovadora que, além de unir investidores a empreendedores, contribui para um mercado financeiro mais livre, sem amarras, sem venda casada e sem burocracia.

 

B: E qual a maior dificuldade de empreender no Brasil para você?

R: Ter que direcionar 50% do tempo para reuniões com contadores, advogados, pagamento de taxas governamentais, visitas a cartórios, configuração do sistema gerencial com as dezenas de tributos aplicados a diferentes insumos e produtos finais…

O empreendedor precisa de foco e dedicação ao seu negócio: pessoas, produtos, serviços, comunicação com clientes.

 

B: Se você pudesse dar uma dica para quem está começando ou passando por um momento difícil no seu negócio, qual seria?

R: Geralmente um problemão é formado por vários probleminhas. (Se não for, dê um jeito de dividir.)

Faça um mapa dos “probleminhas” e vá resolvendo, um a um.

Tenha paciência.

 

B: Quais são seus planos para futuro?

R: Fazer a cultura Oak’s (o nosso jeito de ser e os nossos produtos) alcançar cada vez mais brasileiros.

A gente faz isso de duas maneiras: oferecendo um ótimo lugar para se trabalhar e oferecendo uma ótima refeição.

Em junho de 2017, realizamos o sonho de abrir o Oak’s no Rio de Janeiro.

No próximo ano pretendemos arrastar a asa para São Paulo.

 

B: Empreender é:

R: Encontrar o equilíbrio entre sonho e realidade.

 

B: Por meio do empréstimo colaborativo da Biva, pessoas investiram no seu negócio e assim você pode alcançar mais este objetivo. O que você gostaria de falar para esses investidores.

R: Parabéns pela coragem de destinar suas economias aos pequenos negócios do Brasil.

Além de terem o dinheiro rendendo, vocês contribuem para um ambiente de negócios mais livre e justo.

Venham numa loja do Oak’s que eu gostaria de dar um abraço em vocês.